quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

piratas e palhaços

Eu me lembro que estudava economia

e numa de história escutei sobre

queimar arroz para regular o preço do produto.

Vem cá, que mundo é esse em que

se queima comida quando as pessoas passam fome?

...

Eu me tornei então palhaço porque

o palhaço é um delator subversivo.


dr. da alegria Cmte Nelson


Primeiro dia do ano e somos brindados com o que nos vem por aí – “os eduardinhos” – cômico, se não fosse trágico. E ainda tem coragem de dizer em bom som que não combinaram nada! Será que não se dão conta de que sendo assim, é mais grave!? Quantas exclamações serão necessárias para traduzir espanto e indignação? Palhaços?!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Ops! Palhaços, não. Ocorre que acabei de ver o documentário sobre os Doutores da Alegria e fui tomada de tal encantamento que retirei do filme algumas condições para ser palhaço. Seguem as principais:


Estatuto do Palhaço


Art nº1 – Só pode ser palhaço quem tem o improviso como condição de existência. (O improviso é SER a cada momento, sem tempo de pensar como seria). (dr. Zabobrim)

¶ único – O improviso é criar na interação com o outro – para isto, você tem que estar vazio e aberto para receber os estímulos do outro e responder com sinceridade e transparência. (dr. Comte Nelson)


Art nº 2 – É necessário dar uma rasteira no próprio ego para que nunca coloque suas próprias habilidades e o virtuosismo acima da relação com o outro. (drª. Ferrara)


Art nº 3 – É recomendável aprender uma incondicionalidade para olhar o outro. Libertar-se de juízo anterior, trocar a lógica e a razão pela originalidade e pela subversão. (dr. Zinho e drª. Valentina)


Art nº 4 – Há de saber eternamente ser novo de novo; e funcionar no 100%, o que quer dizer trazer o interno para fora sendo inteiro no que faz. (drª Serena e dr. Clóvis Socó)


Art nº 5 – Faz-se fundamental reinventar o mundo, criando uma realidade diferente para aquilo que a gente não se conforma que seja como parece ser.

¶ único – Para isso, é necessário treinar o jogo de cintura de dizer o que está nas entrelinhas e que não se diz por falta de coragem. (dr. Zozinho)


Art nº 6 – É imprescindível trabalhar a sua essência e a sua verdade, sob pena de não o fazendo, ser um palhaço ruim. Vale um alerta: Um palhaço ruim pode fazer mal a saúde. (dr. Cizar Parker)


Art nº 7 – Bagunçar a hierarquia é uma condição inegociável. É preciso ter a certeza de que somos todos iguais – potenciais vítimas de uma porta na cara. (dr. Zinho)


Art nº 8 – O palhaço tem que saber perder. E isso só é possível por sua condição de ressurgir sempre para fazer de novo. (dr. Zabobrim)

¶ único – a possibilidade de não trabalhar com as respostas, mas brincar com as perguntas é um recurso valiosíssimo. (drª. Serena)


Art nº 9 – É permitido calejar como meio de proteção à continuação do seu ofício (como os dedos do violonista), mas calejar na abordagem do outro constitui crime gravíssimo, sujeito à cassação. Nunca, em nenhuma hipótese, uma pessoa poderá ser tratada como somente mais um. (dr. Clóvis Socó)


Art nº 10 – O palhaço será sempre um bobo que ama esse mundo. Por esta veia amorosa, ele aponta os desequilíbrios. Mas ele faz isso apontando nele, ou seja, inversamente. Ele mostra o ridículo da situação sem nenhum heroísmo, para que aquela situação se esfacele nele. (drª. Emily e dr. Zinho)


Assim, enquanto no Palácio da Cidade toma posse hoje o que parece mais uma democracia de piratas, proponho uma conspiração para que fundemos nós a república dos palhaços, lançando desde já o dr. Zinho à presidência.


Que 2009 seja revolucionário!

Beijo,

Guilhermina


3 comentários:

poetriz disse...

Já peguei meu nariz de palhaço.
Aguentarei devidamente no meu papel esse ano de 2009!

E viva o circo!

Bjs!

Nelida Capela disse...

Palhaço ruim faz mal à saúde mesmo. Tenho horror de palhaço. Não tenho medo, só uma vontade de bater. Guilhermina,explica? Na mesma lista, anões e Papai Noel quase entrando. Acho que me levaram muito ao circo quando era criança.

eduarda disse...

Palhaços são sábios.A alegria é uma verdadeira virtude do homem,que não as tem muitas,aliás.
Com máscaras,cores e alegria eles nos dão momentos de lucidez,quando percebemos que a grande farsa está é fora do placo.