sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

associação livre

Ontem recebi de um amigo essas palavras de Florbela Espanca:

O meu mundo não é como o dos outros;
quero demais, exijo demais.
Há em mim uma sede de infinito,
uma angustia constante que nem eu mesma compreendo,
pois estou longe de ser uma pessimista,
sou antes uma exaltada,
com uma alma intensa, violenta, atormentada.
Uma alma que não se sente bem onde está,
que tem saudades...sei lá de quê!


Segundo ele me conta, viu-se de repente, pensando nela e como quem aceita um convite, foi ao seu encontro, por essa via encantada das palavras alinhadas. Abriu uma página que deveria ser uma qualquer e... Deparou-se com o escrito.

Sei que o pensamento só é livre se pode associar-se sem entraves, sem paradas burocráticas, sem orientação prévia...

Ainda segundo ele, tomado pela mão de Florbela, foi provocado por um novo impulso: o de dividir seu achado comigo.Comigo? Por que será? Por favor, mesmo que alguém ouse saber a resposta, não me dê. Prefiro continuar procurando-a.

Ao meu amigo, contudo, retribuo o abraço que me enviou junto com Espanca, além de remeter-lhe um lembrete: nossa inevitável solidão ganha mais (ou novo) sentido quando encontra companhia.

Um beijo,
Guilhermina

6 comentários:

nine disse...

Ah Guilhermina que lindo!A poesia da Florbela e o gesto do amigo .Sou uma alma exaltada e muitas vezes tb atormentada como voces!bjs

Fabiano Barreto disse...

Bacana demais!!

Renato Alt disse...

O eterno desassossego... que bom que, nele, não estamos sós. E que bom que há, como no seu caso, aqueles que ainda preferem as perguntas às respostas enlatadas.

Muito bom isto aqui...
Beijos.

Maria Claudia Pompeo disse...

oi gulhermina!
o contato com meu amigo lucio, pode ser feito através do site dele.
www.luciok.com.br
:)

lá tem as informações pra saber mais um pouco sobre ele e seu trabalho.

obrigada pela visita mais uma vez!
querendo, na quinta-feira que vem tem outra festa divertida no mesmo lugar onde eu fui, em copacabana.
é só me mandar um email para saber mais detalhes!!!!
beijos

Nelida Capela disse...

Os portugueses...sempre belos em prosa e verso, com tanta autenticidade.Esse poema parece até comigo, rsss. Beijo Guilhermina! Muito bom estar em sua companhia.

Euzinha! disse...

Olá, sou da confraria dos 50 livros lidos em um ano. Ufa, dá falta de ar escrever e pensar em 50 livros, rsrsrs. Mas esse aperto é só pq estamos contando os livros.
Amo Florbela Espanca, e foi perfeito cair aqui neste post. Florbela escreveu para as mulheres, qual de nós não somos assim??? Vou até copiar este texto para o meu blog.
Falando nisso, passa por lá para espiar.
Beijo,