quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

madrugada na esquina - por Susanna

Como é mesmo que se começa uma conversa com pessoas que você nunca viu, talvez nunca veja, e ainda nem foi bem apresentada?

Como se faz pra que pessoas que não te sabem, o façam da melhor maneira, mas sem saírem feridas por você – com todos os defeitos que você tem –, hein?

De onde eu devo partir: de um “Bom dia! Meu nome é Susanna, e o seu?”, ou um “Oi, tudo bem? Qual é o seu nome?” veste melhor?

Eu, sinceramente, não sei responder a essas questões. Atualmente anda tudo tão complicado entre seres humanos, que até a ordem dos fatores altera, em muito, os resultados – se estes aplicarem-se aos relacionamentos.

Ai, quantas inquietações aqui dentro! Eu? Ah, eu escrevo por prazer, para desabafar, por encomenda, pra divertir, pra informar, por nervosismo, em silêncio, com música alta, até escrevo pra por alguém em algum lugar. Escrevo se brotar de dentro, ainda que não de mim. Até por ordem já escrevi, e como! Mas não ficou bom, sabe? Não tão bom como quando é com paixão. Escrevo com vida, com alma. Por vezes com lágrimas e dor. Sorrio sempre em meus escritos; sorriso sempre grande, sempre contagiante. Escrevo pra me manter viva, e não explodir com tantas palavras passeando pela minha cabeça, ou descansando nos meus olhos, ou saindo pelas orelhas.

E mesmo assim, escrevendo tanto, que a mim parece tão pouco, não sei como começar isso. Ah, comece você, do jeito que quiser e preferir, da forma que lhe ficar mais confortável, e se não lhe apertar o calcanhar. Comece isso, de leve. Eu me adapto a você. Eu subo nos seus pés, feito criança pequena, e sigo os teus passos, como numa dança. Mas comece, por favor, porque há dias em que eu acordo, como hoje, já pela metade; sem saber direito onde e como comecei, conhecendo apenas “o” onde vou terminar.

Susanna




3 comentários:

Nine disse...

Gente olha a Susanninha na esquina fantasiada de bailarina!rs..SU faça como voce fez comigo ,achamos um ponto em comum e dali fomos indos para tantos, que o primeiro ja nao tem tanta importancia e no nosso caso ,março ja esta chegando e vamos nos ver la no restau do Dédé!bjs a voce e ao povo da esquina.

guilhermina disse...

Olá Nine!
Obrigada pela visita. Que bom que vc chegou. Nem sei como agradeço à Susanna essa deliciosa aproximação de pessoas nesta esquina. E logo ela nos conta que às vezes nem sabe como se chegar!
Até breve, um beijo,
Guilhermina

Fabiano Barreto disse...

Caraca, essa esquina tá movimentada mesmo!!

Prabéns, neguinha!

Mais um texto excelente!