domingo, 1 de fevereiro de 2009

tortura ou alívio? - por João Lira


Quem foi o filho da p**a que disse que separação é fácil? Fácil nada, separação é uma tortura, e daquelas inegociáveis.

Hoje, domingo, acordei tarde, tomei banho e saí com minha mãe e minha irmã mais velha, para encontrar meu pai e minhas duas outras irmãs.

Fomos a um restaurante bem pequeno, que fica na praça da feira hippie. Ficamos quatro horas comendo, bebendo e conversando. Achei estranho já que a paz e a alegria não reinavam na nossa casa fazia tempo. Este curto momento mesmo nem foi lá em casa. Aliás, raramente quando isso acontecia, era somente por alguns minutos.

Chegando em casa uma surpresa dolorosa. Meu pai resolveu sair de casa. Eu e minhas três irmãs nos tornamos vítimas desse acontecimento. Começamos a pensar “o que aconteceu? De quem foi a culpa” etc. A culpa não é de uma pessoa só. A família não é pequena, a relação de pai e mãe decadente... e eu o único filho que suspeitou da separação fui me tornando um caixote de informações jogadas sobre mim pelos dois, que já não se aguentavam mais e não conseguiam dialogar. Me senti 100% inútil naquele momento.

No último instante da partida daquele pai, o meu, ele disse mastigando a vontade de chorar, (a única vez que eu o vi chorar, novamente mastigando as lágrimas, foi no dia da morte da sua avó) “Filho, você está vivendo esta parte da vida igual a mim no passado, o único homem no meio de várias mulheres. Cuide bem delas. Você é o amor da minha vida.”

Quando um casamento vai de mal a pior é uma tortura, mas na hora da separação ninguém sabe se aquele momento foi uma tortura maior ou um alívio, pois a escravidão do casamento acabou.

Será que depois deste triste capítulo, um outro se inicia, mais feliz, em um novo restaurante?

Assim que eu souber, conto para vocês,

Beijo,

João Lira

Obs. João Lira tem 13 anos.
beijo,
Guilhermina

5 comentários:

Nelida Capela disse...

João Lyra: A vida mostra caminhos...mistérios...

Anônimo disse...

Joao,vc deve ser demais sabia cara?Escrever sobre a separação dos seus pais...
Sabe, os meus nunca se separaram de fato,mas sempre brigaram,sofreram muito,se machucaram o tempo todo e continuam se machucando.Agora devem se perguntar se deveriam tê-lo feito.Mas com oitenta anos não dá mais pra encontrar a resposta.
Talvez os seus estejam se permitindo encontrá-las.
Beijo
Eduarda
eduleblon.leblon@gmail.com

Susanna disse...

Ah João, sempre se iniciam e iniciarão novos capítulos...
Meus pais tb se separaram, há quase 5 anos.
Eu era o que vc foi [ou está sendo].
Mas acredite, outras páginas, com novas histórias virão sim.
E você, pela maneira como escreveu, é bem forte; que haja vida pra te mostrar que felicidade existe!

Beijo grande, menino!

Fabiano Barreto disse...

Absolutamente emocionante!

João Pedro M. S. disse...

Acho que ninguém mais entra aqui. Caso um dia voltem a essa esquina hoje vazia quero que saibam, o apoio de vocês contou muito. Continuo a escrever, tive um Tumblr e hoje tenho meu próprio Blog. Quem sabe um dia dá algo a mais...